Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Social bookmarking

Social bookmarking Digg  Social bookmarking Delicious  Social bookmarking Reddit  Social bookmarking Stumbleupon  Social bookmarking Slashdot  Social bookmarking Yahoo  Social bookmarking Google  Social bookmarking Blinklist  Social bookmarking Blogmarks  Social bookmarking Technorati  

Conservar e compartilhar o endereço de Umbanda Livre em seu site de social bookmarking


MPE discute ações de combate à intolerância religiosa - PE

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

MPE discute ações de combate à intolerância religiosa - PE

Mensagem por Tania Jandira em Ter Mar 22, 2016 11:41 pm

MPE discute ações de combate à intolerância religiosa
Objetivo foi pedir ações para garantir a liberdade de crença

Encontro ocorreu na manhã desta segunda–feira no MPE (Fotos: Portal Infonet)

Para o babalorixá, Juraci de Erimatéia o MP precisa implantar ações para combater as práticas de discriminação

Líderes da Umbanda e do Candomblé pediram ao Ministério Público Estadual (MPE) providências para combater a discriminação de pessoas que fazem parte das religiões de matrizes africanas. O encontro correu na manhã desta segunda–feira, 21, com a promotoria da educação. O objetivo do encontro foi pedir ações para garantir a liberdade de crença e combate à intolerância religiosa. A audiência acontece no Dia Internacional da Luta contra a discriminação racial.

Para o babalorixá, Juraci de Erimatéia, o Ministério Público precisa implantar ações para combater as práticas de discriminação que são recorrentes em todo o país. “A principal reivindicação é a partir de algumas casas de candomblé que estão sendo invadidas pela polícia e estamos tendo os cultos interrompidos e instrumentos sagrados sendo apreendidos. Essa prática fere a Constituição Federal e o Estatuto da Igualdade Racial. A gente pede as autoridades um ajuste de conduta”, protesta.

Os representantes alegam também serem discriminados em escolas e em unidades de saúde. O promotor de justiça da educação Luiz Fausto Valois disse que irá colher as denúncias, acionar os órgãos responsáveis para audiências e levantar as denúncias. “O Ministério Público teve a ideia de criar o projeto “Racismo Conhecer para Enfrentar” e hoje marcamos essa audiência pública para tratar dessas situações. Os cultos religiosos estão sendo interrompidos, seus líderes religiosos sendo levados presos e esquecem da liberdade religiosa. Não está havendo respeito à liturgia e aos instrumentos indumentárias da religião das matrizes africanas. Vamos receber as reivindicações. Já vimos que tem demanda e vamos marcar audiências individualizadas e tratar cada um dos temas mencionados”, garante.

Por Eliene Andrade
http://www.infonet.com.br/educacao/ler.asp?id=184368
avatar
Tania Jandira

Mensagens : 2752
Reputação : 177
Data de inscrição : 02/02/2012
Idade : 58
Localização : Rio de Janeiro

http://psicoterapiarj.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum